terça-feira, 21 de setembro de 2021

As nossas frases

                Fui reunindo frases que, por as ter ouvido em jovem, agora me vieram à lembrança, por me parecerem típicas do nosso falar barrocalense. 
               Quiçá algumas o não serão. Mas aqui se registam, ainda que possam estar, de facto, nos dicionários que dão atenção aos provincianismos ou ao modo como o povo fala.
            A primeira foi-me recordada por um dos meus gatos ter agarrado num novelo e percorrido com ele a casa toda, aos saltos. A frase também se aplicava às crianças que não estavam sossegadas e eram capazes de, deixadas sozinhas fazerem das suas e deixarem tudo de pernas pró ar. A gente falava-lhe mais alto:
            «Pára de fazer bilharetas, moce!».
            Esta vem no Dicionário do Falar Algarvio.
Estoutra algarvia não será. Descobri que se disponibiliza na Internet vasto rol de ‘expressões algarvias’, deve ser para os forasteiros lerem antes de virem para cá de férias, deve ser… E esta soa-me mais vinda dos brasis.
Achei-a um mimo, porque pode aplicar-se ao moço pequeno desajeitado nas lides do desenho, mas também serve para os adultos:
«Pára de pôr chifre em cabeça de cavalo!».

Na Internet, em vez de «pôr» sugere-se «procurar» e exemplifica-se com a professora a querer, por força, encontrar erros no trabalho do estudante para lhe não dar a nota máxima que ele merece…
Portanto, não, a questão de chifre no sentido concreto ou figurado não vem ao caso.
            Aqui – usando o «pôr» – o que se pretende dizer é mais sério, uma forma quase sarcástica e bem sugestiva de afirmar que o nosso interlocutor está a baralhar-se mesmo, a atribuir a outrem o que a esse outrem não pertence, a trocar os pés pelas mãos!...
E já que se fala em pés, aqui vai outra do meu rol:
«Eu pisei no tomate com os dois pés e fiquei sentado nele».
Ora toma! Fizeste asneira, não te corrigiste, persististe no engano e… saíste de fundilhos das calças borrado! Bem feita! Não tens emenda nenhuma!...

                                               José d’Encarnação

Publicado em Notícias de S. Braz [S. Brás de Alportel], nº 298, 20-08-2021, p. 13.

Post-scriptum: Insiro, com a devida vénia, a ilustração de Federação Educacional e Cultural Metropolitana. Há, de resto, na Internet muitas imagens referentes a esta assaz saborosa frase...

 

4 comentários: